Na Feira do Livro Dado, não há livro perdido, nem empoeirado!

Livros a mais… queres dar? Livros novos… queres encontrar? Trocar, apenas dar ou receber.

No próximo dia 12 de Fevereiro, domingo, das 10h às 19h, na Casa da Esquina, uma oportunidade para encontrar livros novos e dar um novo destino aos que ganham pó na prateleira. A entrada é gratuita. Não é obrigatório trazer livros, embora ajude a manter o fluxo das trocas.

Aparece! Mais informação sobre o evento aqui.

cartazWEB_FeiraLivroDado.jpg

Sustenta’ Terra, Sustenta’ Vida – Palestra & Filme sobre a Teoria de Gaia

E se o planeta terra for, em si, um ser vivo?  Isso mesmo, e se para além de albergar vida, o planeta é um único organismo que está vivo?

A Teoria de Gaia ou Hipótese de Gaia foi originalmente proposta pelo investigador James E. Lovelock em 1972. Na altura, a comunidade científica atribuiu-lhe pouca importância, embora tenha sido valorizada por ambientalistas e ecologistas. A ideia é ainda muito controversa, mas é crescente o número de cientistas que consideram e apoiam esta proposta enquanto teoria científica e os desafios ecológicos que as sociedades enfrentam hoje fazem com que os seus contornos gerais reúnam cada vez mais consenso.

A Kriscer (Associação de Cooperação para o Desenvolvimento Humano e Social, reconhecida como ONGD), convidou a Coimbra em Transição, para divulgar e participar numa sessão de cinema e palestra dedicada à Teoria de Gaia, a acontecer no próximo dia 1 de fevereiro, 4ªfeira, às 18h30 no belíssimo espaço do Salão Brazil. Apareça também e traga um/a amigo/a! mais informação sobre o evento aqui.

kriscer

 

VI CURSO PRÁTICO DE APICULTURA NATURAL 2017

O mundo das abelhas é fascinante! Em tempos idos, era comum as famílias terem colmeias, usufruindo de toda a sua riqueza apícola: a polinização, o mel, a cera, o pólen e o própolis, etc. Hoje, a maior parte da produção de mel é feita quase exclusivamente por produtores comerciais e as abelhas encontram-se cada vez mais em declínio, estando algumas espécies classificadas como em vias de extinção. As abelhas são fundamentais para garantir a nossa segurança alimentar e a preservação da biodiversidade. Com gestos simples e alguma dedicação facilmente podemos ajudá-las a sobreviver e a prosperar perto de nós.

O Curso Prático de Apicultura Natural oferece a oportunidade de entrar no mundo da apicultura, em meio urbano ou doméstico, de forma simples, ecológica e a baixo custo. Não é preciso equipamento sofisticado ou caro e, com alguma aptidão e treino, podem construir a vossa própria colmeia!

Conteúdos gerais
– Introdução à biologia da abelha melífera como super-organismo e aplicação destes conhecimentos para melhorar a prática apícola;
– Conhecer as condições de vida e o comportamento das abelhas;
– Apicultura Natural e Apicultura Biodinâmica: como se distinguem das práticas convencionais;
– Aprender o que fazer para apoiar as abelhas e cooperar com elas no âmbito da prática apícola (enquadramento adequado no ambiente natural e relação com vegetação melífera);
– Conhecer diferentes tipos de colmeias e como construí-las (dia de partilha de conhecimentos);
– Aprender como escolher e utilizar correctamente ferramentas;
– Aprender a escolher e a preparar o espaço do apiário;
– Conhecer as técnicas de manutenção a realizar ao longo das diferentes épocas do ano;
– Treinar a observação;
– Abordar temas como enxames e prevenção, doenças, problemas e soluções.

Calendário & Localização
DATAS: 11 de Fevereiro; 11 de Março; 1 de Abril; 6 de Maio; 3 de Junho (um sábado por mês).
HORÁRIO: Das 9h30 às 17h30.
LOCAL: Painça, em Granja do Ulmeiro (perto da estação de comboio de Alfarelos).

Condições de inscrição

Inscrição até de 31 Janeiro:

  • Modalidade 1: 150€ para Associados da Coimbra em Transição
  • Modalidade 2: 175€ para Não Associados da Coimbra em Transição
  • Modalidade 3: Bolsa completa ou bolsa parcial. A possibilidade de atribuição de bolsas está sujeita à avaliação por parte do Grupo de Apicultura da CeT (GA), mediante a apresentação de uma carta justificativa da situação que leva ao pedido de bolsa e das possibilidades de criação de acordo entre o formando e o Grupo sobre um compromisso de troca. Para ambas as bolsas, completa e parcial, existe custo mínimo equivalente à quota anual de Associado (12€).

Inscrição após 31 de Janeiro:
Acresce 25€ aos valores acima referidos, para as três modalidades

Processo de inscrição

  • Envie um e-mail com o assunto [inscrição curso APIC] para geral@gmail.com, com as seguintes informações:
  • Nome completo + Localidade de residência + Nº de telefone
  • Indicar se tem experiência na área apícola e/ou outras áreas de interesse
  • Indicar a Modalidade de Inscrição pretendida: 1, 2 ou 3 (completa ou parcial)
  • De seguida receberá informação para efectuar o pagamento de 50% do valor de inscrição, garantindo assim a pré-inscrição. Os restantes 50% deverão ser pagos até à 2ª aula do curso.

A realização do curso é garantida com um nº mínimo de 11 inscrições e nº máximo de 16 inscrições.

 Os formadores

Harald Hafner, é natural da Áustria e vive em Mangualde, onde tem inúmeras colmeias espalhadas por várias quintas. Apaixonou-se pela apicultura desde cedo no seu país nativo e tornou-se Apicultor profissional em 2003 durante uma estadia de vários anos na República Dominicana. Em 2011 terminou um Mestrado em Apicultura na Escola Agrária de Warth na Áustria. Tem experiência com abelhas de diferentes espécies e temperamentos em três climas diferentes e com vários tipos de colmeias. O seu interesse inclui os habitats das abelhas, a sua importância para a ecologia e a interligação da apicultura com a nossa cultura e alimentação. A sua aptidão de observação, curiosidade e abertura para novos caminhos dão profundidade e animação à formação. Sendo um bom polinizador ele próprio, anima e inspira aprendizagem e partilha contínua dos seus ex-alunos no país inteiro (Coimbra, Paredes, Porto, Sintra, Aveiro, Mangualde e muitos outros).

João Leal, é apicultor semi-profissional registado desde 2006, sendo a concretização de um “sonho” e de um “bichinho” que já vem sendo explorado desde os 12 anos de idade quando começou a ter os primeiros contactos com as abelhas. É membro de 2 associações apícolas, Sicolmeia e Associação dos Apicultores do Litoral Centro. Até 2012 foi participante activo e moderador de um fórum apícola, com vários apiários espalhados pelo país, de distintas floras. Em 2013 reduziu e concentrou o número de apiários na zona de Granja do Ulmeiro, onde também fabrica e testa as colmeias que utiliza. Utiliza vários modelos de colmeias e adora ver as abelhas a trabalharem no tradicional cortiço. Dedica-se especialmente à produção genética, já tendo experimentado diversas subespécies de abelhas (desde 2010 utiliza equipamento de Inseminação Artificial). Tal como o Harald Hafner, é especialmente interessado em métodos biotécnicos para o controlo de doenças e pragas e tem muito gosto em aprender sempre mais através da prática e a partilhar, tanto com os mais experientes como com os iniciados.

 

curso-apic-2017_informacao

Vamos plantar citrinos e semear bolotas de sobreiro para plantar na Primavera! | 8Dez, 14h30-17h30

Plantação de citrinos

arvores

No próximo dia 8 de Dezembro vamos plantar citrinos na Rua Carlos Ramos, Quinta do Grijó, junto à placa toponímica.

Como podem ver na imagem, já existiu uma árvore neste local que foi arrancada depois de ter sido vandalizada. A proposta veio de uma vizinha guardiã.

Ainda temos 2 ou 3 citrinos e um loureiro por plantar. Aceitam-se propostas de espaços disponíveis, de preferência com guardiões! É preciso ter em atenção que os citrinos devem ficar em locais onde a queda dos frutos não perturbe a utilização dos passeios públicos.

Sementeira de bolotas

Ofereceram-nos um saco de bolotas germinadas! Vamos semeá-las em vaso no Hortim do Jardim da Sereia e guardá-las na estufa onde ficarão a medrar até terem condições de serem plantadas, na Primavera.

Notas sobre as primeiras ações de plantação

Inspirados na iniciativa Reflorestar Portugal, a Associação Coimbra em Transição decidiu participar com a plantação de algumas árvores na nossa cidade. Dirigimo-nos ao Viveiro Arborlusitania situado na Estrada da Cidreira onde gentilmente nos cederam um conjunto de 11 árvores que não estavam optimizadas para venda.

platacao1

No passado dia 27 juntámo-nos à Associação Mãos à Obra Portugal, com a colaboração da Associação de Pais da Escola Básica de Solum Sul e da Câmara Municipal de Coimbra, numa acção de apanha de bolotas e de plantação de árvores na mata protegida de São Jerónimo situada entre a Rua Luís de Camões e a Rua Francisco Sá Carneiro.

plantacao2

Sob indicação de um funcionário da Divisão de Ambiente da CMC, aí plantámos um carvalho-roble (Quercus robur), devidamente identificado por placa. Plantámos ainda nesse dia um carvalho-dos-pântanos (Quercus palustris) na Rua Miguel Torga, também identificado. Seguimos para a Estação Velha onde plantámos dois freixos (Fraxinus sp.) e ainda dois citrinos (Citrus spp.) no pomar municipal situado entre a ponte do Açude e o Choupal.

Exibição do filme Disobedience, com comentário de Sinan Eden do colectivo Climáximo e debate, dia 30Nov, 18h30, sala1 do CES

Disobedience é uma afirmação dos movimentos sociais que nos últimos anos se debatem com as intrincadas relações entre os problemas ambientais, as desigualdades sociais, o actual sistema económico e político e as suas relações de poder. Porque se fala hoje em Justiça Climática? Pode o ambiente ser uma questão de justiça? E em que medida nos afecta a nós, em Portugal, nas nossas vidas quotidianas? Que conflitos ambientais existem hoje no nosso país e de que forma podemos contribuir para estas ações em prol de um ambiente e de uma vida melhor? A par do filme (cerca de 40min.) serão exibidas 2 pequenas curtas-metragens, comentadas pelo activista do colectivo Climáximo, Sinan Eden.
Imagem intercalada 2

Acção de recolha de bolotas e plantação de árvores, dia 27Nov, das 10h às 12h, na mata de S. Jerónimo, Coimbra

A Coimbra em Transição apoia e participa na recolha de bolotas e na plantação de árvores na mata de S. Jerónimo (Quinta de S. Jerónimo – entrada pela Praceta Luís de Camões), este domingo, dia 27 de Novembro, das 10h às 12h, no âmbito da iniciativa Florestar Portugal, promovida pela concelhia de Coimbra da Associação Mãos à Obra Portugal (AMO Portugal), tendo a parceria da Câmara Municipal de Coimbra, da Associação de Pais da Escola Básica de Solum Sul e da Associação Coimbra em Transição.

Iremos também plantar àrvores em alguns locais da cidade identificados por cidadãos guardiões!

Junta-te a nós e traz um@ amig@!! Mais informações aqui no evento no facebook: https://www.facebook.com/events/979384815498860/

“Uma cabana em Marte” e “Disobedience”: cinema_ecologia_território_cidadania

Na continuidade das actividades de cinema e discussão em torno da ecologia e cidadania, a CeT apoia na organização e divulga:

23Nov (4ªfeira), Sala2 do CES, 15h

Projeção do premiado documentário do Canadá Uma Cabana em Marte (60min.), de Martin Bureau & Luc Renaud | Conversa com o diretor Luc Renaud*: A situação política e social das Primeiras Nações no Quebec e no Canadá
* Facilitada por Alison Neilson, do grupo Arts Informed Research, do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra
Imagem intercalada 1
Trinta anos após o fechamento da colónia mineradora de Schefferville, o grupo indígena Innu, após ter tomado possessão dessa vila abandonada pelos quebequenses, enfrentam um novo desafio: a reabertura das minas de ferro. Território, identidade e legitimidade alimentam o diálogo entre os dois povos diante dessa luta, quebequenses e povos indígenas (Premières Nations). Duas identidades que se dizem colonizadas e cuja primeira se comporta, por vezes, de modo colonizador. A quem pertence o território? Os povos indígenas têm direitos à autodeterminação como os quebequenses? Com uma grande carga poética Une tente sur Mars busca algumas respostas diante dessa complexa situação.

Trailer do filme e entrevista aos realizadores:
https://www.cinemapolitica.org/film/tent-mars
http://artthreat.net/2010/03/a-tent-on-mars/
Mais info sobre o evento:
https://artsinformedresearch.wordpress.com/2016/11/15/encontro-5/

 

30Nov (4ªfeira), sala1 CES, 18h30

Exibição do documentário Disobedience (40min.) e outras curtas-metragens sobre alterações climáticas e as relações intrincadas entre estas, a economia, as desigualdades sociais e a urgência em construir formas alternativas de viver, seguida de conversa com Sinan Eden, do Colectivo Climáximo.

Imagem intercalada 1

Sobre o documentário Disobedience:
http://watchdisobedience.com/

I Encontro de Apicultura Natural – Apicultura e Sustentabilidade em discussão! 29 de Outubro, na ESAC, Coimbra

O apelo que nos move…
 É grande o sentido de urgência em reflectir, discutir e agir em prol das abelhas. Porque a produção alimentar constitui uma das principais actividades humanas com maior impacto sobre o planeta, é premente efectivar a preservação da biodiversidade, em particular, dos insectos polinizadores que permitem a manutenção dos ecossistemas e da segurança alimentar humana e não-humana. Uma acção global é necessária, e podemos começar desde já aqui! Nos nossos quintais, nas nossas hortas urbanas de varanda, nos campos de cultivo que abastecem os nossos mercados locais.
 A Apicultura tem um enorme potencial pedagógico, importante na sensibilização das novas gerações e também para demonstrar aos mais graúdos que é possível ser parceiro da natureza e construir uma relação que favorece a fertilidade e a produtividade dos nossos cultivos e, simultaneamente, que ajuda a cuidar da biodiversidade dos lugares em que vivemos. Não é linear a tarefa de transformar práticas e perspectivas que ao longo do tempo se têm mostrado menos sustentáveis, tanto no campo da Apicultura como da Agricultura. Até porque são vastos e complexos os desafios que se colocam à sustentabilidade da vida humana no planeta.
SAM_1802
 Por estes mesmos motivos, estamos convictos, que é fulcral o aprofundamento da reflexão e acção colectiva em torno da Apicultura, quer por quem a pratica, mas também por aqueles que a estudam ou que a acompanham à distância (enquanto curiosos ou apreciadores das iguarias que as abelhas nos oferecem).
 Já lá vão 5 anos desde que em 2011 desafiamos o carismático e entusiástico apicultor Harald Hafner a realizar o primeiro Curso de Apicultura Natural em Portugal, no Jardim Botânico da Universidade de Coimbra. Desde então foram várias as actividades pedagógicas e de formação avançada, com a participação de apicultores e curiosos da região de Coimbra e também de outras localidades do país.
 A vontade em contribuir para o desenvolvimento e divulgação de práticas e abordagens apícolas de cariz naturalista, motivou a criação da Plataforma pelas Abelhas, uma rede de pessoas interessadas em colaborar e trocar saberes e experiências, com o objectivo de desenvolver práticas apícolas com a menor interferência e impacto possível sobre as abelhas e o contexto envolvente das mesmas.
 Hoje são já diversos os projectos (quer da sociedade civil, do sector público e privado, e também científico) que no nosso país desenvolvem um trabalho notável no âmbito da educação e sensibilização, mas também no desenho e experimentação de materiais e abordagens. Mas ainda somos poucos. Urge aproximar os diversos sectores da Apicultura em Portugal, público, privado, associativo e familiar, profissional e amador. Urge conhecer os últimos avanços da ciência, compreender os desafios e dificuldades de quem cuida e vive com as abelhas.
 Este é o nosso convite: que participem no  I Encontro de Apicultura Natural, com o objectivo de discutir em conjunto a sustentabilidade dos diferentes tipos de práticas apícolas e dos seus fundamentos, divulgar práticas apícolas sustentáveis e mobilizar sinergias e colaborações em torno de uma rede de cooperação regional (e nacional?). O nosso cartaz evoca a toalha de mesa, lugar onde tantas vezes nos deliciamos com as iguarias melíferas. Da mesma forma, à mesa, em discussão plenária, propomos a discussão de um Manifesto pela Apicultura, enquanto tomada de posição colectiva sobre os caminhos possíveis e urgentes a seguir pela sustentabilidade do desenvolvimento humano e do planeta. 
cartaz_final_abelhas_2016_10_29
 Com a apresentação de diferentes projectos na área científica, pedagógica, associativa, profissional e amadora, pretende-se dar a conhecer um pouco da diversidade do que se faz neste âmbito da apicultura natural. E também colocar em presença perspectivas que, aparentando ser opostas, podem encontrar pontos de colaboração em torno da promoção da Apicultura em Portugal.
Quando e onde?
 Dia 29 de Outubro,  Sábado, das 09h45 às 17h30, no Auditório H1 da Escola Superior Agrária de Coimbra (ESAC).
Programa Geral (sujeito a alterações)
09h45 | recepção dos participantes
10h00 | Sessão de Abertura
   Sara Rocha – Associação Coimbra em Transição
   João Noronha – Presidente da ESAC – Escola Superior Agrária de Coimbra
   Denis Hickel – Plataforma pelas Abelhas
10h30 | Painel 1: Factos, perspectivas e práticas sustentáveis de Apicultura em Portugal: contributos para uma discussão alargada sobre o potencial da Apicultura Natural (moderação: Teresa Vasconcelos – ESAC)
   10h30 – Harald Hafner (Abelha Azul) – Apicultura Natural – Api-Cultura pelo Futuro
   11h00 – João Casaca (FNAP – Federação Nacional dos Apicultores de Portugal) – A evolução da Apicultura em Modo de Produção Biológico em Portugal e o papel das organizações de produtores
   11h30 – Ana Jervis (Projecto pedagógico de Apicultura da Quinta da Moita)
12h00 | Pausa para almoço
12h00 – 14h00 | Feira Apícola: espaço para exposição de informação científica, de projectos e actividades de apicultura, mostra, venda e/ou troca de produtos e subprodutos do mel, e material e ferramentas de apoio à prática apícola (átrio da Escola Agrária)
14h00 | Painel 2: Factos, perspectivas e práticas sustentáveis de Apicultura em Portugal: contributos para uma discussão alargada sobre o potencial da Apicultura Natural
   14h00 – Miguel Leal (TimberBee)
   14h30 – João Leal – Ser apicultor
   15h00 – Denis Hickel (Quinta do Alecrim e Plataforma pelas Abelhas) – Manifesto pela Apicultura
15h30 | Pausa para lanche e Feira Apícola
16h15 | Mesa Redonda em plenário: Que futuro desejamos para a Apicultura?
17h30 | Sessão de Encerramento
   Lurdes Mateus e Filipe Santos – Associação Coimbra em Transição
17h45 | Plantação de árvores/plantas melíferas na ESAC
Feira Apícola – Mostra de iniciativas, projectos e produtos
 A participação na Feira Apícola terá um custo simbólico de 2,5 zangões, revertendo o valor para a compra de plantas melíferas a plantar na sessão de encerramento do evento. A feira funcionará em registo de venda, troca directa e/ou dádiva de acordo com o pretendido pelos participantes. Contacte-nos por e-mail: coimbraemtransicao.geral@gmail.com
Inscrição no Encontro
 Para se inscrever envie um e-mail com o assunto “[Inscrição – Encontro de apicultura]”para coimbraemtransicao.geral@gmail.com
A inscrição até ao dia 24 de Outubro tem o custo de 10 zangões, e deve ser pago por transferência bancária para o NIB 001000005030612000160. Após a data de 24 de Out., incluindo o pagamento em numerário no próprio dia, o custo será de 15 zangões
Almoço e lanche
 No sábado o refeitório da ESAC está fechado mas o bar estará aberto entre as 8h e as 14h, com serviço de refeições. Se preferir, traga uma merenda para partilhar ao almoço! No lanche da tarde serão providenciadas infusões, água e algumas iguarias com mel.
Como chegar?
   A ESAC situa-se em Bencanta, Coimbra. Veja aqui.
Acompanhe as actualizações e notícias sobre o Encontro na nossa página do evento no Facebook.
Apoios
 A Coimbra em Transição agradece à ESAC o apoio prestado na disponibilização dos espaços!
Esperamos ver-vos em breve!
Saudações apícolas,
A Comissão Organizadora do evento.

Se é para AMANHÃ, bem podias fazer hoje! (e ir ao cinema)

E se mostrar soluções, contar uma história positiva, fosse a melhor forma de resolver as crises ecológicas, económicas e sociais que atravessam o nosso mundo? Após a publicação de um estudo que anuncia a possibilidade do desaparecimento da humanidade até 2100, Cyril Dion e Mélanie Laurent partiram com uma equipa de quatro pessoas, para investigar em dez países aquilo que poderá provocar esta catástrofe e, sobretudo, como evitá-la. Durante a sua viagem, encontraram pioneiros que reinventaram a agricultura, a energia, e economia, a democracia e a educação. Ao juntarem todas estas iniciativas positivas, eles começam a ver emergir aquele que poderá ser o mundo de amanhã.

O premiado documentário “Amanhã” da atriz e realizadora francesa Mélanie Laurent e do jornalista e fundador do movimento Colibris e da revista Kaizen, Cyril Dion irá passar no Teatro Académico Gil Vicente (TAGV) na próxima 2ªfeira, às 18h30 (aqui o trailer).

A Coimbra em Transição associou-se ao TAGV na divulgação deste filme e está a promover a realização de um passatempo atribuindo 5 bilhetes gratuitos para o filme! Basta responder, até dia 13 de outubro, da forma mais original (e sustentável) à pergunta: O que poderá ser a sua contribuição para um “outro amanhã”?… Participe e ganhe! Respostas na página do evento: https://www.facebook.com/coimbraemtransicao/

E, sobretudo, venha connosco ao cinema. Após o filme será realizada uma breve conversa informal sobre a reflexão que o filme nos trouxe e de que forma ela se contextualiza no sítio em que vivemos. Siga o evento no facebook.

demain

 

 

Um julgamento de faca e garfo ou o poder insuspeito das pequenas sementinhas – oficina de germinados 15Out, 11h

Sementes são coisas tão pequenas e de tal aspecto inofensivo que facilmente se torna insuspeito o poder que nelas reside. Sim, a sua força nutricional faz delas um excelente aliado da saúde alimentar. Mas o seu poder é também cultural, político e económico. E ambiental. Estes pequenos grãos são hoje motivo de grandes discussões, investigações, diálogos, desentendimentos, esperanças e mortes. Talvez elas não quisessem tamanho protagonismo, talvez só quisessem mesmo continuar o seu ciclo milenar de germinação, transformação e regeneração, mas o génio e o desassosego humanos lá as trouxeram para a ribalta.

É já nesta 6ªfeira, dia 14 de Outubro, que se inicia a iniciativa da sociedade civil  Tribunal Monsanto, um tribunal popular internacional com o objetivo de julgar a Monsanto enquanto responsável por violações de direitos humanos, por crimes contra a humanidade e contra o ambiente. Irá decorrer nos dias 15 e 16 de Outubro em Haia, Holanda, e é uma iniciativa apoiada por Vandana Shiva, Corinne Lepage, Marie-Monique Robin, Olivier de Schutter, Gilles-Eric Séralini e Hans Herren: dois activistas portugueses, membros do Tribunal estarão presentes para testemunhar este evento histórico.

É também na primeira quinzena de Outubro (de 2 a 16) que decorre mais uma vez a Campanha Global Seed Freedom. Já não é a primeira vez que participamos nesta semana com um evento em Coimbra, a novidade é fazê-lo com parceiros de luxo: numa matutina oficina, a Aromas a Dois irá falar dos benefícios do consumo de germinados, ensinar a germinar sementes e outras formas de os incluir na nossa culinária quotidiana; a oficina será acolhida no espaço mais delicioso para visitar num sábado de manhã, o Mercadinho do Botânico.

De uma forma simples, vamos aprender conhecimentos de culinária práticos enquanto conversamos um pouco sobre estes poderes insuspeitos das sementes, quer para a sua saúde, quer no impacto que um acto tão pequeno como comer e preservar sementes, pode ter sobre a vida da nossa comunidade. Façamos dos nossos talheres aliados de peso na defesa de uma alimentação saudável, de uma economia local próspera e justa e de um ambiente sustentável.

Se chover, não se acanhe, temos um plano B! Este sábado, às 11h, no Mercadinho do Botânico. Inscreva-se através deste formulário: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSer9qp8l9b_Y-b9d6HEKuwUDcIditzg6yeh1EuFYOnVrVU5jQ/viewform

8 de Março