O Cesto Cheio na Casa das Artes: Conversa animada e entusiasmo sobre o potencial para Coimbra

A apresentação do Cesto Cheio – iniciativa do Ronen Hirsch e Annelieke van der Sluijs, no dia 23 de Junho, atraiu 20 pessoas e resultou numa conversa animada que se estendeu pela noite dentro; quase todos os participantes ficaram após a apresentação e apreciaram o lanche com sopa fria, omolete em forma de coração e uma salada variada, todos confeccionados com produtos locais.

IMG_1371_edited

Com pessoas de Coimbra e de mais longe, com e sem experiência com sistemas de cabazes, interessados como produtores ou “comedores”, havia muito para comparar, debater e destacar. Rimos bastante com o desafio de evitar a palavra “consumidor”, ao mesmo tempo que descobrimos a diferença entre uma compra “anónima” num supermercado e o estabelecimento de uma relação onde há lugar para a expressão de gostos e coisas para alterar, um cuidar mútuo e a possibilidade de explorar como os alimentos são cultivados. Todas as pessoas envolvidas juntas asseguram o que é bom abrindo, assim, possibilidades para ir além da certificação alimentar.

Houve satisfação com o sucesso do “irmão mais velho” do Cesto Cheio, a Cutia Taranului na Roménia, já com 3 anos de história e 300 cabazes semanais. Os agricultores envolvidos conseguem gradualmente sair da zona de sobrevivência para uma posição em que existe espaço para investir, tanto na extensão, diversidade e sustentabilidade da produção, como no bem-estar familiar. Distinguiu-se uma diferença considerável com a situação em Pprtugal: cá, os produtores em agricultura familiar são, em geral, mais pequenos. Significa que se torna quase obrigatório procurar a colaboração com outros na composição dos cabazes. Falou-se sobre as vantagens disto para a diversidade dos conteúdos dos cabazes e o potencial para fortalecer as redes sociais e económicas locais.

As pessoas presentes com ligação ao Mercadinho do Botânico questionaram a possibilidade desta iniciativa tornar-se numa competição. Na Terça-feira passada, numa conversa com parte dos produtores durante o Mercado do Calhabé, pensou-se na possibilidade da complementariedade desta iniciativa: atrair outro tipo de aderentes, nomeadamente pessoas que preferem receber os produtos directamente à sua porta. Os produtores do Mercadinho querem explorar como organizar a sua colaboração para participar no Cesto Cheio e pediram uma apresentação que terá lugar no próximo Sábado, dia 12 de Julho, no Mercadinho do Botânico a partir das 13h30. São todos bem-vindos para saber mais e alimentar a conversa.

Anúncios

One response to “O Cesto Cheio na Casa das Artes: Conversa animada e entusiasmo sobre o potencial para Coimbra

  1. Gostei de saber – e fiquei contente…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s