Category Archives: Uncategorized

Nova acção de plantação de árvores em Coimbra, 18 de Março, das 15h às 17h30, na Mata de S. Jerónimo

Este sábado decorre mais uma acção de plantação organizada pela Associação Mãos à Obra Portugal, no âmbito do projecto Florestar Portugal. Uma iniciativa  apoiada por várias entidades locais e uma causa que merece ser participada!

Para participar basta aparecer à hora marcada na Mata de S. Jerónimo (Quinta de S. Jerónimo – entrada pela Praceta Luís de Camões) e trazer vestuário confortável para uma tarde de eco-exercício! Apareça!

Untitled

 

 

Anúncios

Transplantação partilhada – a primavera está a chegar!

As plantas que semeámos em Fevereiro já começaram a crescer! E a terra no Jardim começa a estar preparada para as receber. Está quase a chegar o dia da Transplantação Partilhada deste ano. Será num dos próximos domingos, dia 26 de Março e começará às 14:30, mas se quiserem podem vir antes e participar no almoço partilhado ao ar livre, que começará às 12:30!

Vamos também complementar a actividade continuando com a incorporação de composto, que entretanto produzimos.

Transplantação Partilhada, 26 de Março

Transplantação Partilhada, 26 de Março

O QUE PRECISARIAM DE TER NO DIA 26 DE MARÇO ÀS 14:30:
(Não deixem de aparecer se não tiverem alguma ou qualquer uma destas coisas! A vossa ajuda será sempre bem vinda!)

1. Uma faca normal (das que usamos nas refeições; para facilitar a recolha das plantas e da terra que estão nos alvéolos).

2. Pequenas pás para a abertura dos orifícios para implantação no local definitivo.

3. Garrafões vazios de plástico transparente, para fazermos protecções anti-caracóis.

4. X-acto para cortar os garrafões.

5. Sementes para semear directamente no local (por exemplo: cenouras, rabanetes, algumas flores, girassóis, chagas, etc.). As que tiverem disponíveis.

6. Se tiverem terra ou composto bem nutridos (bio), tragam por favor, ajudarão a fertilizar o jardim. Este ponto é muito importante.

7. Luvas, opcional.

8. Almoço para partilhar, opcional.

LOCAL DA ACTIVIDADE:
No Hortim da Coimbra em Transição, no Jardim da Sereia, no canto à cota superior entre a penitenciária e a Casa da Cultura.
CONTACTOS PARA MAIS INFORMAÇÕES:
EMAIL: coimbraemtransicao.geral@gmail.com
TLM: 916252602

Encontro Berta vive! 3 de Março de 2017, 18h00, Sala 2, CES(Centro de Estudos Sociais)-Coimbra

cartaz-berta-vive

A 2 de Março de 2016, Berta Cáceres foi assassinada e os autores do crime ainda não foram punidos. Em todo o mundo as pessoas reconhecem o legado de Berta e identificam-se com as suas causas, procurando de diversas formas enfrentar o sistema neoliberal, patriarcal, colonial e racista vigente. As ideias e opiniões, as lutas e os projetos políticos da organização de que Berta foi fundadora e filha –COPINH (Conselho Cívico de Organizações Populares e Indígenas de Honduras) – persistem.

Este evento é parte da iniciativa internacional “A 1 Año de su Siembra: Berta Vive, COPINH Sigue” que procura marcar com dor o assassinato de Berta e celebrar a vida, as lutas e as resistências.
Programa

18h00: Projeção do documentário “Berta vive!” (30 min.) | Direção: Katia Lara.
Produção: OXFAM en Honduras y TERCO Produção: TERCER PISO com apoio da COPINH e OFRANEH

18h30-20h00: Debate e partilha de experiências sobre casos de violação de direitos, violência, sofrimento e repressão a cidadãos e cidadãs, comunidades, movimentos, resistências indígenas, campesinas, feministas e outras na América Latina e no mundo com participação de membros de iniciativas e movimentos e investigadores, por exemplo, de movimento de direitos humanos de Honduras e do Movimento Pró Tejo.

3ª Sementeira partilhada no Hortim

O jardim está à espera da próxima e terceira sementeira partilhada! Será dia 25 de Fevereiro, num dos próximos sábados! A actividade da Sementeira começará às 14:30, mas se quiserem podem vir antes e participar no almoço partilhado ao ar livre, que começará às 12:30!
Este ano vamos também complementar a actividade com a incorporação de composto, que entretanto produzimos.
Ainda se lembram das sementeiras partilhadas dos anos anteriores? Então: cada pessoa, ou cada grupo de amigos, trará o suficiente para fazer uma sementeira à sua escala e medida, na medida que entender. Nós ensinaremos a semear, vocês contribuirão com as vossas sementeiras para o Jardim. Isto é, ajudarão a reabilitar e a cuidar de um espaço público que tem recursos extraordinários. Contamos, por exemplo, com uma estufa que alojará os primeiros dias de germinação das sementes.

Depois de aprenderem a semear connosco, e depois de partilharem os vossos recursos com o novo Jardim, poderão, ao fim da tarde, ou noutro dia combinado connosco, usar a estufa para as vossas próprias sementeiras. A vantagem é podermos semear nestes dias ainda frios, adiantando assim as transplantações da Primavera, e as colheitas do Verão. Para além disso, podem aproveitar para trocar sementes com os outros participantes.

O QUE PRECISARIAM DE TER NO DIA 25 DE FEVEREIRO ÀS 14:30 / ou às 12:30, se quiserem vir almoçar:

1. Tabuleiros para semear (caixas com orifícios onde se introduzem as sementes e a terra, e onde vai crescer uma pequena planta que depois será transplantada).*

Estes tabuleiros podem ser substituídos por embalagens recicladas (só tem de estar limpas!): embalagens de iogurtes, pacotes de leite, vasos velhos, embalagens de plástico que geralmente servem para empacotar fruta ou legumes – às vezes até já estão perfuradas! Usem a vossa imaginação! *

2. Terra ou composto q.b. (em função das embalagens que levarem). A terra ou composto podem ir recolhê-los num local limpo de químicos, por baixo de uma árvore, por exemplo; ou podem comprá-los, mas comprem Bio, sem substrato químico incorporado. A terra que recolherem não convém que seja muito argilosa, senão vai compactar e as plantas não crescem.

3. 1/5 de areia em relação à quantidade de terra (areia sem sal!). Pode ser a areia usada nas obras, essa não tem sal.

4. Sementes. As que tiverem disponíveis.

5. Luvas, absolutamente opcional.

6. Almoço para partilhar, opcional.

* Atenção: convém que os recipientes para semear tenham no mínimo a dimensão de uma embalagem de iogurte, mas podem ser um pouco maiores; como não vamos usar químicos as plantas não vão crescer até aquele tamanho enorme que estamos habituados a ver nos tabuleiros de orifícios minúsculos dos supermercados!!

** Outra coisa: não deixem de aparecer se não tiverem alguma ou qualquer uma destas coisas! A vossa ajuda será sempre bem vinda!

Apareça!

Na Feira do Livro Dado, não há livro perdido, nem empoeirado!

Livros a mais… queres dar? Livros novos… queres encontrar? Trocar, apenas dar ou receber.

No próximo dia 12 de Fevereiro, domingo, das 10h às 19h, na Casa da Esquina, uma oportunidade para encontrar livros novos e dar um novo destino aos que ganham pó na prateleira. A entrada é gratuita. Não é obrigatório trazer livros, embora ajude a manter o fluxo das trocas.

Aparece! Mais informação sobre o evento aqui.

cartazWEB_FeiraLivroDado.jpg

Sustenta’ Terra, Sustenta’ Vida – Palestra & Filme sobre a Teoria de Gaia

E se o planeta terra for, em si, um ser vivo?  Isso mesmo, e se para além de albergar vida, o planeta é um único organismo que está vivo?

A Teoria de Gaia ou Hipótese de Gaia foi originalmente proposta pelo investigador James E. Lovelock em 1972. Na altura, a comunidade científica atribuiu-lhe pouca importância, embora tenha sido valorizada por ambientalistas e ecologistas. A ideia é ainda muito controversa, mas é crescente o número de cientistas que consideram e apoiam esta proposta enquanto teoria científica e os desafios ecológicos que as sociedades enfrentam hoje fazem com que os seus contornos gerais reúnam cada vez mais consenso.

A Kriscer (Associação de Cooperação para o Desenvolvimento Humano e Social, reconhecida como ONGD), convidou a Coimbra em Transição, para divulgar e participar numa sessão de cinema e palestra dedicada à Teoria de Gaia, a acontecer no próximo dia 1 de fevereiro, 4ªfeira, às 18h30 no belíssimo espaço do Salão Brazil. Apareça também e traga um/a amigo/a! mais informação sobre o evento aqui.

kriscer

 

VI CURSO PRÁTICO DE APICULTURA NATURAL 2017

O mundo das abelhas é fascinante! Em tempos idos, era comum as famílias terem colmeias, usufruindo de toda a sua riqueza apícola: a polinização, o mel, a cera, o pólen e o própolis, etc. Hoje, a maior parte da produção de mel é feita quase exclusivamente por produtores comerciais e as abelhas encontram-se cada vez mais em declínio, estando algumas espécies classificadas como em vias de extinção. As abelhas são fundamentais para garantir a nossa segurança alimentar e a preservação da biodiversidade. Com gestos simples e alguma dedicação facilmente podemos ajudá-las a sobreviver e a prosperar perto de nós.

O Curso Prático de Apicultura Natural oferece a oportunidade de entrar no mundo da apicultura, em meio urbano ou doméstico, de forma simples, ecológica e a baixo custo. Não é preciso equipamento sofisticado ou caro e, com alguma aptidão e treino, podem construir a vossa própria colmeia!

Conteúdos gerais
– Introdução à biologia da abelha melífera como super-organismo e aplicação destes conhecimentos para melhorar a prática apícola;
– Conhecer as condições de vida e o comportamento das abelhas;
– Apicultura Natural e Apicultura Biodinâmica: como se distinguem das práticas convencionais;
– Aprender o que fazer para apoiar as abelhas e cooperar com elas no âmbito da prática apícola (enquadramento adequado no ambiente natural e relação com vegetação melífera);
– Conhecer diferentes tipos de colmeias e como construí-las (dia de partilha de conhecimentos);
– Aprender como escolher e utilizar correctamente ferramentas;
– Aprender a escolher e a preparar o espaço do apiário;
– Conhecer as técnicas de manutenção a realizar ao longo das diferentes épocas do ano;
– Treinar a observação;
– Abordar temas como enxames e prevenção, doenças, problemas e soluções.

Calendário & Localização
DATAS: 11 de Fevereiro; 11 de Março; 1 de Abril; 6 de Maio; 3 de Junho (um sábado por mês).
HORÁRIO: Das 9h30 às 17h30.
LOCAL: Painça, em Granja do Ulmeiro (perto da estação de comboio de Alfarelos).

Condições de inscrição

Inscrição até de 31 Janeiro:

  • Modalidade 1: 150€ para Associados da Coimbra em Transição
  • Modalidade 2: 175€ para Não Associados da Coimbra em Transição
  • Modalidade 3: Bolsa completa ou bolsa parcial. A possibilidade de atribuição de bolsas está sujeita à avaliação por parte do Grupo de Apicultura da CeT (GA), mediante a apresentação de uma carta justificativa da situação que leva ao pedido de bolsa e das possibilidades de criação de acordo entre o formando e o Grupo sobre um compromisso de troca. Para ambas as bolsas, completa e parcial, existe custo mínimo equivalente à quota anual de Associado (12€).

Inscrição após 31 de Janeiro:
Acresce 25€ aos valores acima referidos, para as três modalidades

Processo de inscrição

  • Envie um e-mail com o assunto [inscrição curso APIC] para geral@gmail.com, com as seguintes informações:
  • Nome completo + Localidade de residência + Nº de telefone
  • Indicar se tem experiência na área apícola e/ou outras áreas de interesse
  • Indicar a Modalidade de Inscrição pretendida: 1, 2 ou 3 (completa ou parcial)
  • De seguida receberá informação para efectuar o pagamento de 50% do valor de inscrição, garantindo assim a pré-inscrição. Os restantes 50% deverão ser pagos até à 2ª aula do curso.

A realização do curso é garantida com um nº mínimo de 11 inscrições e nº máximo de 16 inscrições.

 Os formadores

Harald Hafner, é natural da Áustria e vive em Mangualde, onde tem inúmeras colmeias espalhadas por várias quintas. Apaixonou-se pela apicultura desde cedo no seu país nativo e tornou-se Apicultor profissional em 2003 durante uma estadia de vários anos na República Dominicana. Em 2011 terminou um Mestrado em Apicultura na Escola Agrária de Warth na Áustria. Tem experiência com abelhas de diferentes espécies e temperamentos em três climas diferentes e com vários tipos de colmeias. O seu interesse inclui os habitats das abelhas, a sua importância para a ecologia e a interligação da apicultura com a nossa cultura e alimentação. A sua aptidão de observação, curiosidade e abertura para novos caminhos dão profundidade e animação à formação. Sendo um bom polinizador ele próprio, anima e inspira aprendizagem e partilha contínua dos seus ex-alunos no país inteiro (Coimbra, Paredes, Porto, Sintra, Aveiro, Mangualde e muitos outros).

João Leal, é apicultor semi-profissional registado desde 2006, sendo a concretização de um “sonho” e de um “bichinho” que já vem sendo explorado desde os 12 anos de idade quando começou a ter os primeiros contactos com as abelhas. É membro de 2 associações apícolas, Sicolmeia e Associação dos Apicultores do Litoral Centro. Até 2012 foi participante activo e moderador de um fórum apícola, com vários apiários espalhados pelo país, de distintas floras. Em 2013 reduziu e concentrou o número de apiários na zona de Granja do Ulmeiro, onde também fabrica e testa as colmeias que utiliza. Utiliza vários modelos de colmeias e adora ver as abelhas a trabalharem no tradicional cortiço. Dedica-se especialmente à produção genética, já tendo experimentado diversas subespécies de abelhas (desde 2010 utiliza equipamento de Inseminação Artificial). Tal como o Harald Hafner, é especialmente interessado em métodos biotécnicos para o controlo de doenças e pragas e tem muito gosto em aprender sempre mais através da prática e a partilhar, tanto com os mais experientes como com os iniciados.

 

curso-apic-2017_informacao

Vamos plantar citrinos e semear bolotas de sobreiro para plantar na Primavera! | 8Dez, 14h30-17h30

Plantação de citrinos

arvores

No próximo dia 8 de Dezembro vamos plantar citrinos na Rua Carlos Ramos, Quinta do Grijó, junto à placa toponímica.

Como podem ver na imagem, já existiu uma árvore neste local que foi arrancada depois de ter sido vandalizada. A proposta veio de uma vizinha guardiã.

Ainda temos 2 ou 3 citrinos e um loureiro por plantar. Aceitam-se propostas de espaços disponíveis, de preferência com guardiões! É preciso ter em atenção que os citrinos devem ficar em locais onde a queda dos frutos não perturbe a utilização dos passeios públicos.

Sementeira de bolotas

Ofereceram-nos um saco de bolotas germinadas! Vamos semeá-las em vaso no Hortim do Jardim da Sereia e guardá-las na estufa onde ficarão a medrar até terem condições de serem plantadas, na Primavera.

Notas sobre as primeiras ações de plantação

Inspirados na iniciativa Reflorestar Portugal, a Associação Coimbra em Transição decidiu participar com a plantação de algumas árvores na nossa cidade. Dirigimo-nos ao Viveiro Arborlusitania situado na Estrada da Cidreira onde gentilmente nos cederam um conjunto de 11 árvores que não estavam optimizadas para venda.

platacao1

No passado dia 27 juntámo-nos à Associação Mãos à Obra Portugal, com a colaboração da Associação de Pais da Escola Básica de Solum Sul e da Câmara Municipal de Coimbra, numa acção de apanha de bolotas e de plantação de árvores na mata protegida de São Jerónimo situada entre a Rua Luís de Camões e a Rua Francisco Sá Carneiro.

plantacao2

Sob indicação de um funcionário da Divisão de Ambiente da CMC, aí plantámos um carvalho-roble (Quercus robur), devidamente identificado por placa. Plantámos ainda nesse dia um carvalho-dos-pântanos (Quercus palustris) na Rua Miguel Torga, também identificado. Seguimos para a Estação Velha onde plantámos dois freixos (Fraxinus sp.) e ainda dois citrinos (Citrus spp.) no pomar municipal situado entre a ponte do Açude e o Choupal.

Exibição do filme Disobedience, com comentário de Sinan Eden do colectivo Climáximo e debate, dia 30Nov, 18h30, sala1 do CES

Disobedience é uma afirmação dos movimentos sociais que nos últimos anos se debatem com as intrincadas relações entre os problemas ambientais, as desigualdades sociais, o actual sistema económico e político e as suas relações de poder. Porque se fala hoje em Justiça Climática? Pode o ambiente ser uma questão de justiça? E em que medida nos afecta a nós, em Portugal, nas nossas vidas quotidianas? Que conflitos ambientais existem hoje no nosso país e de que forma podemos contribuir para estas ações em prol de um ambiente e de uma vida melhor? A par do filme (cerca de 40min.) serão exibidas 2 pequenas curtas-metragens, comentadas pelo activista do colectivo Climáximo, Sinan Eden.
Imagem intercalada 2

Acção de recolha de bolotas e plantação de árvores, dia 27Nov, das 10h às 12h, na mata de S. Jerónimo, Coimbra

A Coimbra em Transição apoia e participa na recolha de bolotas e na plantação de árvores na mata de S. Jerónimo (Quinta de S. Jerónimo – entrada pela Praceta Luís de Camões), este domingo, dia 27 de Novembro, das 10h às 12h, no âmbito da iniciativa Florestar Portugal, promovida pela concelhia de Coimbra da Associação Mãos à Obra Portugal (AMO Portugal), tendo a parceria da Câmara Municipal de Coimbra, da Associação de Pais da Escola Básica de Solum Sul e da Associação Coimbra em Transição.

Iremos também plantar àrvores em alguns locais da cidade identificados por cidadãos guardiões!

Junta-te a nós e traz um@ amig@!! Mais informações aqui no evento no facebook: https://www.facebook.com/events/979384815498860/